Vice Ministra da Indústria e Comércio visita Unidade de Processamento de Frangos

Data: 26/10/2020
Vice Ministra da Indústria e Comércio visita Unidade de Processamento de Frangos

À margem da realização do XVIII Conselho Coordenador, a Vice-Ministra de Indústria e Comércio, Ludovina Bernardo, efectuou uma visita de trabalho a uma Unidade de Processamento de Frangos no posto Administrativo de Magule, distrito de Bilene, província de Gaza, onde fez-se acompanhar por quadros do MIC e das instituições tuteladas.

A missão tinha em vista, inteirar-se do processo de retoma de actividades de produção de frangos, face as restrições do Decreto Presidencial, sobre o Estado de Emergência para mitigação da propagação do COVID-19; acompanhar o processo de preparação da quadra festiva que se avizinha, para provisão de produtos alimentares da primeira necessidade para responder a demanda no mercado nacional.

Na ocasião, José Lopes, falando em representação dos sócios da empresa, fez saber que o empreendimento é resultado de uma união de produtores e está ainda em processo de constituição, desde Setembro de 2019. Referiu ainda tratar-se de uma unidade de produção de capitais moçambicanos, com um investimento de cerca de 26 milhões de meticais, com duas componentes, sendo uma de produção, com uma capacidade instalada de 60.000 unidades de frango por ciclo de produção (lote) e outra de processamento, com a capacidade actual de 1.500 à 1.700 unidades de frango por turno diário. Com um total de 98 postos de trabalho, as vendas abrangem apenas o mercado nacional.

Por sua vez, a vice ministra enalteceu o papel importante dos gestores daquela unidade de produção pelo investimento no sector avícola e do agro-processamento, visto que garante a absorção da mão-de-obra local, que na sua maioria são jovens, promovendo assim o desenvolvimento local, bem como garantir a disponibilização do produto nacional no mercado interno. Desafiou-os a expandir a produção para o aumento da capacidade de oferta no mercado nacional, assegurar a sua exportação e reduzir o nível de distribuição de quotas de importação de frango.