Desafios do sector agrícola e da indústria e comércio face ao COVID

Data: 22/07/2020
Desafios do sector agrícola e da indústria e comércio face ao COVID

Realizou-se, recentemente em Maputo, um encontro entre o Alto-comissário Britânico em Moçambique, Ministérios da Indústria e Comércio e o da Agricultura e Desenvolvimento Rural e o sector privado britânico para discutir o impacto e desafios do COVID 19 em Moçambique e oportunidades agrícolas.

No encontro, discutiu-se sobre os desafios do sector agrícola e da indústria e comércio face ao COVID 19. Debateu-se ainda sobre as oportunidades de financiamento existentes para Moçambique para fazer face a pandemia.

Na ocasião, o Ministro da Agricultura, Celso Correia desafiou os parceiros internacionais e as empresas de crédito a ajustarem os seus requisitos para uma maior inclusão dos pequenos e médios produtores. Desafiou-os também, a imprimir maior celeridade na provisão de fundos anunciados para que estes cheguem aos destinatários em tempo útil.

O Governo Moçambicano pretende construir novas cadeias de valores para permitir que mais pessoas dependentes da agricultura possam crescer e evoluir da agricultura de subsistência para comercial.

O Ministro da Indústria e Comércio, Carlos Mesquita disse na sua intervenção, que há uma necessidade de expansão e modernização das indústrias tanto na agricultura como no comércio, em Moçambique. Para o dirigente, o acesso a internet e uma economia mais digital são as metas do sistema económico moçambicano. Daí  que espera a participação das empresas britânicas no desenvolvimento desta economia. “A economia não pode parar devido ao COVID-19”. Disse o Ministro

Durante o encontro fez-se menção de exemplos de empresas com filiação britânica que deram seguimento às discussões mantidas em Janeiro, durante a cimeira de investimentos Reino Unido-África, e que já investem no sector agrícola em Moçambique, como a Associeted British Foods e a subsidiária Maragra, o Nandos que é um grande comprador de piri piri moçambicano, a JCB e a Plexus, uma empresa que recebeu assistência do Governo moçambicano pois esta suporta cerca de 100.000 famílias em Cabo Delgado.

O Governo do Reino Unido, através da Alta Comissária  NneNne Iwuji-Eme reafirmou o cometimento em continuar com a pareceria de benefício mutuo e  criação de plataformas de diálogo entre o governo moçambicano e o sector privado britânico.