FACIM vai ter edifícios definitivos a partir do próximo ano

Data: 10/09/2019
FACIM vai ter edifícios definitivos a partir do próximo ano

A Feira Internacional de Maputo (FACIM) vai ter edifícios definitivos a partir do próximo ano. O anúncio foi feito pelo ministro da Indústria e Comércio, Ragendra de Sousa, no fim da 55ª Edição da FACIM.

A ideia segundo o ministro, não é só acabar com as tendas, mas também a rentabilizar os espaços que anualmente acolhem uma única feira.

O ministro esclareceu que o fim último é explorar todas e possíveis valências da área onde está inserida a Feira Internacional de Maputo. “Temos a convicção que a próxima feira será em edifícios definitivos. Os engenheiros responsáveis pelo futuro empreendimento depois podem dar os detalhes de como irá ser feito o projecto. Estamos a focalizar agora só no espaço da feira, mas não perdemos a dimensão do espaço Ricatla – Marracuene. Portanto, aqui também se pode desenvolver a hotelaria, o turismo aliado à existência da ponte para Macaneta.

Então, vamos dar esta modificação da FACIM num outro contexto. Uma feira sim, mas nós não queremos que seja só uma feira anual. Queremos que este espaço tenha múltiplo uso”, frisou o ministro. O governante acrescentou que a FACIM poderá passar a acolher feiras regionais e internacionais, assim como exposições temáticas.

Referir que o novo figurino da FACIM a vigorar a partir do próximo ano será em regime de concessão e que pode chegar a uma parceria público/privada, explicou o ministro. “O Governo não vai gastar.

Nós iremos pôr o projecto à consideração do sector privado e aquele que ficar com o projecto tem de construir e explorar a feira durante algum tempo, findo o qual o empreendimento volta para o Estado. Nesta modalidade, o Estado cede o terreno e a oportunidade de negócio, podemos para dar mais garantias, fazermos uma parceria pública/privada”, disse Falando no balanço da FACIM-2019, o ministro lembrou que o país está numa fase em que ainda precisa de promover a sua imagem, criar parcerias e aumentar o volume das exportações.