Ministro da Indústria e Comércio capacita estudantes finalistas

Data: 18/01/2018
Ministro da Indústria e Comércio capacita estudantes finalistas

O Ministro da Indústria e Comércio, Ragendra de Sousa, orientou aula de sapiência sobre o ambiente de negócios em Moçambique, aos estudantes finalistas e recém-graduados, no âmbito do seminário de capacitação da 13ª edição do programa “Férias Desenvolvendo o Distrito”. Na ocasião, o Ministro disse que o estado está comprometido na melhoria do ambiente de negócios, sendo prova disso, por um lado, a introdução de licenciamento simplificado de actividades económicas. 

A introdução do sistema Online para o registo de empresas, constitui outra inovação, uma vez que agora a tramitação de processos dispensa a obrigatoriedade de deslocação a Maputo, para o efeito. Actualmente, a assinatura e aprovação dos processos é feito por via digital.

Os estudantes foram desafiados a desenvolver iniciativas proactivas, atendendo que o País oferece várias oportunidades de empreendimento na área de agronegócios.

A título de exemplo, apontou a possibilidade de racionalização das actividades dos vendedores do mercado do Zimpeto. Segundo referiu, vezes sem conta, assiste-se ao triste cenário de deterioração e desperdício de tomate neste mercado, quando podia ser aproveitado para a produção de massa de tomate. Mas também afirmou ser possível empreender na área de consultoria, onde os vendedores podem ser sensibilizados sobre boas práticas de negócios, como a necessidade de pagar uma taxa singela para a conservação de seus produtos nas câmaras frigoríficas já existentes para o efeito, em prejuízo de perder a mercadoria após a deterioração.

Existem vários incentivos nesta área, com destaque para isenção de pagamento de IVA em produtos alimentares, desconto de 50% na aquisição de combustíveis, desconto que varia de 50 a 75% em energia eléctrica, entre outros.

Partindo de princípio que toda moeda tem duas faces, o governante admitiu que apesar das dificuldades existentes, o Governo está atento e comprometido a intervir em todas as esferas que lhe compete para a melhoria do ambiente de negócios.

Entretanto, os académicos também são chamados a fazer a sua parte, como serem mais profissionais, competentes, continuar engajados na formação, leitura, constante busca de informação e pesquisas, e acima de tudo, ser mais exigentes consigo próprios.