Actividades inspectivas da INAE

Data: 18/01/2018
Actividades inspectivas da INAE

No âmbito das suas actividades inspectivas, a Inspecção Nacional das Actividades Económicas (INAE), encerrou, semana passada, quatro estabelecimentos comerciais de destaque na província de Inhambane, devido às diversas irregularidades. Trata-se dos supermercados Wang Rong Internacional Trading, Lda, Dinos Bar, na praia do TofoTake Away Cesária e Oyster Bar, de Piedade Camilo, e um outro supermercado na vila da Massinga. 

O supermercado Wang Rong Internacional Trading, Lda, por sinal, o maior e único da cidade de Inhambane, antes da ordem de seu encerramento, os gestores foram sensibilizados várias vezes, de forma didáctica, para corrigir as irregularidades anteriormente detectadas, mas pura e simplesmente ignoraram as orientações.

Os estabelecimentos receberam ordem de encerrar as suas actividades até a correção das infrações detectadas, tais como a falta de higiene, falta de limpeza nas casas de banho, arrumação de produtos sem obedecer a regras, associada à falta de afixação de preços nos produtos, a comercialização de produtos fora do prazo, venda de produtos em contacto com o chão, sendo que outros se dedicam à venda de produtos contrafeitos, entre outras anomalias.

De acordo com a Inspetora-geral da INAE, Maria Rita Freitas, em Inhambane foram fiscalizadas cerca de 96 estabelecimentos comerciais, entre turísticos, de restauraçao e de diversão nocturna, que na maioria são clandestinos, numa actuação que envolveveu três brigadas compostas por três a quatro inspectores cada.

Na mesma operação, foram confiscados 400 filtros de óleo de viaturas, da marca GUD, que eram contrafeitos, para além da apreensão de 37 garrafas de bebidas alcoólicas sem selo. Ainda durante os trabalhos em referência, foram instaurados quatro autos de notícias na área de hotelaria.

Durante a Inspecção, as brigadas depararam-se com vários constrangimentos, onde alguns agentes económicos locais e a associação da hotelaria e turismo, tentaram impedir o exercício sobretudo em Jangamo onde há relatos de discriminação racial por parte dos operadores turísticos. Outros estabelecimentos não abriram as portas à Inspecção alegando férias colectivas.

Sobre a suspensão das actividades do maior estabelecimento comercial da cidade de Inhambane, a INAE garantiu estarem reunidas as condições para sua reabertura.